23/05/2014

Capítulo 10 - Quem é Morto?

desculpem os erros, e espero que gostem.                                        



                                    05/04/2013, 09:21, Universidade Draconic

Harry ia em direção a classe, ele subia as escadas, e encontra Gemma.

-Oh, Bom dia, chegou cedo hoje- Ela o ignorou e continuou a descer as escadas, era como se ele não existisse, quando ele entra na sala, ele percebe que Taylor e Liam estavam a frente da turma. Talvez estivessem dando um aviso.

-... Então é isso –Disse Liam –Caso tenham alguma dúvida... não, esqueçam.

-Ei James- Harry bateu nas costas do menino a sua frente –Aconteceu alguma coisa hoje de manhã?- James não respondeu, simplesmente o ignorou, continuou a olhar pra frente.

-Vamos rezar pela alma do nosso colega de classe, Joe- Disse o professor –Para que ele descanse em paz. Muitos eventos tristes têm acontecido, mas não percam sua fé e não desista. Nós superaremos isso juntos. Lembrem-se de seguirem as regras da classe o tempo todo. A Srta. Styles está em uma posição difícil, mas ela concordou em ajudar do jeito que der. Todos entendem?
                                                                            11:33

Um pequeno intervalo. Algumas pessoas estavam fora da classe, poucas estavam dentro. Harry, Niall e Zayn estavam inclusos nessas poucas.

-Ei, Niall...- Harry tenta falar com ele, mas este se levanta ignorando-o –O que há com ele?- Ei, Zayn!- Harry tenta falar com o outro, que também o ignora –O que está acontecendo?- Ele percebe que ninguém da sala olhou para ele, era como se ele não existisse.

Harry sai da sala, e liga para Louis. “A pessoa que você está procurando no momento está fora do alcance da área de serviço”. Coincidentemente, o garoto em questão subia as escadas.

-Ei...- Louis olha para ele, mas segue em frente ignorando-o –Escuta...

-Me desculpa- ele sussurra.
                                                      12:53, Aula de literatura I

Todos estavam prestando atenção em seus livros, e no que o professor falava. Menos Harry, ele estava perdido em seus pensamentos. Por que todos estavam o ignorando?

Ele se levanta com raiva, batendo os punhos na banca causando um estrondo, depois sai da sala batendo a porta causando outro barulho. Ele abre a porta da sala e espia dentro. Ninguém havia se mexido. Nem mesmo o professor, que normalmente ficaria irado com o que Harry havia feito, afinal, além de sair da sala quando não deveria, ele causou bagunça.

-Então era isso que eles queriam dizer...- Disse Harry.
                                                                   
                                                                     15:07

Enquanto arrumava suas coisas para ir embora, Harry percebe papéis caindo de dentro de suas coisas.
                                                           15:35, Casa das Bonecas

 Harry desce as escadas e fica encarando a falsa Demi. A verdadeira aparece rapidamente.

-Oi- Disse ele.

-Qual o problema?- Disse ela –Sua ligação foi uma surpresa.

Ele a entrega os papéis que havia encontrado.

-“Desculpe-me. Peça para Demi lhe explicar, Niall”- Ela leu. Ela pegou o outro papel. Era a lista de nomes da turma, e o nome dela estava riscado -Então você conseguiu a lista com os alunos da classe, e?

-Deixa eu começar do começo. Ficou sabendo que o Joe morreu? Ele teve um ataque cardíaco. Eu sei que ele teve problemas do coração, mas...

-Entendo. A segunda morte de abril foi causada por uma doença.

-Então, quando eu cheguei na escola hoje, a classe toda estava estranha. Como se eles estivessem conspirando e fingindo que eu não estava ali.

-Então foi isso que decidiram fazer...

-Quer dizer que agora eu sou como você?

-Sim.

-Qual a sensação de não existir?- Diz ela rindo.

-Não é das melhores. Mas de certa forma, é um desencargo de consciência para mim.

-É?

-Porque agora eu sei que você existe. É aqui que você mora, não é? Nessa loja?

-Sim. Pensei que já tivesse percebido faz tempo.

-Você disse que morava por aqui. E você não era uma cliente. Foi sua mãe quem atendeu o telefone?

-Ela ficou surpresa. Eu raramente recebo ligações de colegas de classe.

-Penelope é sua mãe?

-Sim. Acho que pode-se chamar de um pseudônimo. Ela atende por Penelope. Uma mulher estranha, que fica trancada lá em cima.

-O estúdio “L” significa Estúdio Lovato?

-Agora tudo faz sentido, não é?- Ela caminha em direção a uma cortina negra –Vamos subir –Atrás da cortina havia um elevador.
                                                
                                                     15:51, casa da Demi

-Pegue- Ela o entrega uma lata de refrigerante –Ok, pode fazer as perguntas- Ela se senta em um sofá, e ele se senta a sua frente -Pergunte logo, é mais fácil desse jeito.

-Pensei que odiasse que lhe questionassem.

-E eu odeio. Mas hoje, farei uma exceção especial.

-Certo- Ele sorri –Primeiramente, Demi Lovato, você existe, certo?

-Pensou que eu fosse um fantasma?

-Mais ou menos.

-Acho que não tinha jeito. Mas suas dúvidas se foram agora, certo? Agora que você sabe que existo, que sou de carne e osso. Eu só não existo para os outros da classe 3.

-Desde quando?

-Desde 18 de fevereiro.

-É bem recente.

-Sim. Muitas coisas pareciam estranhas pra você desde o começo, não é?

-Sim. E ninguém queria me explicar.

-Não te explicar a situação de antemão foi um erro que custou caro.

-Erro?

-Você deveria me tratar como se eu não existisse, igual a todo mundo. Mas agora você acabou ficando igual a mim. Que ruim pra você.

-Não é exatamente ruim.

-Não acho que pensem dessa forma.

-Entendo que não existo mais para eles. Mas por que você faz isso?

-É uma questão natural. Lembra da história da Demetria que morreu há 26 anos?

-Sim.

-Ela foi o gatilho. Depois daquilo, a classe 3 ficou mais próxima da morte.

-Morte?

-Aconteceu pela primeira vez na classe 3 um ano depois que os colegas de Demetria se formaram. E assim que aquilo acontece, assim que aquilo começa, alguém morre todo mês. Pode ser um aluno, ou alguém ligado a classe de alguma forma, um parente de algum aluno...

-O que é “aquilo”?

-Aquilo acontece quando o número de alunos aumenta em um.

-Aumenta? Quem?

-Ninguém sabe. Nunca descobrem quem é o extra.

-O extra?

-25 anos atrás, pouco depois que o novo período começou, eles perceberam que a classe estava com uma cadeira a menos. Apesar que já tinham preparado para todos os estudantes.

-Não poderiam olhar nos registros da escola?

-Eles olharam, mas não adiantou de nada. A lista e todos os registros foram alterados para ficarem inconsistentes. Faltava uma cadeira para eles.

-Então alguém reescreveu os números?

-Eu usei a palavra “alterado” metaforicamente. Dizem que a memória de todos também são mudadas. Parece surreal, não é? Mas supostamente é verdade. Me disseram que esse tipo de fenômeno poderia acontecer.

-Fenômeno?

-No começo, todos achavam que era apenas um erro e deixaram para lá. Mas no início de março, pessoas ligadas à classe começaram a morrer a cada mês.

-A cada mês? Durante o ano todo?

-Naquele ano, acho que foram seis alunos e dez familiares. Claramente anormal não é? Esse fenômeno tem continuado na classe 3 desde então.

-Então uma aluna da classe 3 chamada Demetria morreu há 26 anos atrás, e quando o ano seguinte começou havia um aluno extra na classe, então pessoas ligadas a classe começaram a morrer a cada mês. Mas por que as pessoas morrem quando há um aluno extra?

-Ninguém sabe o motivo. Apenas acontece. E também, o aluno extra é alguém morto.

-Fala da Demetria de 26 anos atrás?

-Não.

-É um fantasma ou algo do tipo?

-Acho que é diferente do que chamamos de fantasma. Parece um corpo físico. Não tem  como se dizer a diferença do resto de nós.

-Não tem como dizer?

-O morto tem uma alma e memórias, e não sabe que está morto.

-Quem é o morto?

-Alguma pessoa ligada à classe e que morreu. É assim que eu vejo. As ações da classe 3 há 26 anos atrás, fez da sala 3 um lugar que convida a morte. Depois daquilo, os mortos começaram a fazer parte da classe e a classe 3 se aproximou da morte. Em resposta, os alunos da classe 3 inventaram várias contramedidas para escapar dessa calamidade.

-Tipo exorcismos?

-Possivelmente.

-Tentaram mudar de sala e mudar o nome da classe 3 pra classe C. Mas não adiantou.

-Então o problema é com os alunos do terceiro período da classe 3?

-Parece que sim. Então, cerca de dez anos atrás, encontraram uma forma de dar um jeito no problema, um método que prevenia que as pessoas morressem a cada mês.

-Não me diga que...

-Tratar um dos alunos como se o mesmo não existisse, para compensar a pessoa extra. Dessa forma, a classe volta ao seu número correto, e eles podem evitar a calamidade. É uma espécie de superstição.

-Então quer dizer que, nós estudamos na mesma sala que alguém que está morto?

-Exatamente.
                                                                ~~~~~~
Espero que tenham gostado. Até o próximo beijos .


3 comentários:

  1. já sei que é o defunto... é a Taylor kkkk
    perfeito!!!!
    vou esperar o próximo, pelo menos a Demi é de verdade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sera que taylor é o morto? hum não sei

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir